Vigilância Sanitária interdita três panificações por insalubridade

Durante a semana, foram interditados quatro estabelecimentos e mais de duas toneladas de alimentos impróprios para o consumo foram apreendidas

Três panificações foram interditadas no sábado (17) pela Vigilância Sanitária de Maceió. Os estabelecimentos apresentaram condições inadequadas de higiene dos espaços, equipamentos e utensílios, além de má conservação dos produtos utilizados na produção dos pães. No Benedito Bentes, outra equipe apreendeu 650 kg de carnes e outros alimentos.

O coordenador geral da Vigilância Sanitária, Airton Santos, informa que em uma das panificações interditadas foi encontrado um criatório de galinhas próximo da área de manipulação das massas. No interior dos estabelecimentos, más condições de higiene de equipamentos, alimentos vencidos e mal acondicionados.

“As panificações foram interditadas por insalubridade. Encontramos mofo nas paredes e no teto, farinha mofada, equipamentos enferrujados. Não havia como manter o funcionamento nas condições em que se encontravam”, justificou.

Panificações foram interditadas por inadequação às normas sanitárias. Foto: Divulgação

Os estabelecimentos que foram fechados têm prazo de até 30 adias para fazer as adequações, podendo reabrir antes, desde que passem a atender às normas sanitárias.

Em um estabelecimento foram apreendidos 1.700kg de alimentos impróprios para consumo

Toneladas de alimentos impróprios – Durante a semana, também foram tiradas de circulação mais de duas toneladas de alimentos impróprios para o consumo, principalmente carnes bovina e suína, calabresa, mortadela, queijo e outros produtos perecíveis, como massas e pães.

Além das panificações, um parque de diversões também foi interditado na quinta-feira (15) por estar funcionando em desconformidade com o que estabelecem os decretos estaduais de segurança sanitária.

Atividades têm finalidade educativa

Equipe da Vigilância Sanitária de Maceió em plantão no final de semana. Foto: Divulgação

Apesar do alto volume de produtos apreendidos e das interdições, o coordenador da Vigilância Sanitária explica que as ações do órgão têm finalidade educativa e a interdição é feita quando o estabelecimento está em desacordo com as normas, colocando em risco a saúde da população consumidora.

“A Vigilância elimina o risco sanitário, as equipes trabalham em benefício da saúde do maceioense. A interdição só ocorre quando não há condições de funcionamento. Os comerciantes precisam cumprir determinadas normas e se os estabelecimentos passam a cumprir as exigências, ocorre a desinterdição”, explica.

Ele alerta para a necessidade de os comerciantes e produtores de alimentos atenderem a todas as normas de segurança sanitária. “O trabalho da Vigilância Sanitária consiste não apenas em fiscalizar, mas também na promoção de ações educativas para que comerciantes, fabricantes e consumidores conheçam e executem boas práticas. Nós orientamos sobre cuidados com os produtos que as pessoas fornecem e consomem, mas quando encontramos situações de risco à saúde precisamos eliminar o risco”, comenta.

Equipe da Vigilância Sanitária faz visita técnica a indústria de alimentos. Foto: Divulgação

Seguindo esse propósito, na última quinta-feira (15), as equipes de trabalho fizeram uma visita técnica a uma indústria alimentícia instalada no município de Santa Luzia do Norte, onde os técnicos puderam observar todos os cuidados utilizados na produção.

“Foi muito importante porque os nossos fiscais puderam fazer um acompanhamento de todas as etapas de produção do frango. Conhecer o produto e os processos de fabricação também é fundamental para os cuidados com a saúde da população”, afirma Airton Santos.

No final de semana, as equipes também estiveram na orla marítima, junto com a Secretaria de Segurança Comunitária e do Convívio Social (Semscs). O trabalho foi desenvolvido por equipes de supermercado e frigorífico e de panificação, que participaram de atividades educativas e de fiscalização.

Descarte de produtos estragados

Alimentos impróprios para o consumo são descartados no Aterro Sanitário. Foto: Divulgação

O destino final dos alimentos apreendidos fora do prazo de validade e impróprios para o consumo é o Aterro Sanitário, onde equipes da Vigilância estiveram para descartar os materiais apreendidos ao longo da semana.

 

Parte dos produtos apreendidos é destinada à alimentação dos jacarés que vivem no lago do Parque Municipal, em Bebedouro. Este foi o destino dos quase 300 quilos de carnes e derivados impróprios para consumo que foram apreendidos neste domingo (18) durante inspeção no Tabuleiro do Martins, parte alta de Maceió.

Ascom SMS

Fechar