Secretário de Economia recebe representantes dos setores de corretagem e imobiliário de Alagoas

Reunião também discutiu os trâmites para a emissão do Imposto Sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI)

Reunião foi a primeira de uma série de encontros para discutir melhorias e propor medidas operacionais. Foto: Ascom Semec

O secretário Municipal de Economia (Semec), João Felipe Borges, se reuniu, na tarde da última quarta-feira (14), com membros do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Alagoas (Creci/AL) e do Sindimóveis/AL para ouvir as reivindicações dos setores de corretagem e imobiliário de Maceió. Na reunião, foi definida uma série de encontros mensais para discutir melhorias, atender as principais demandas dos corretores e definir novas medidas operacionais.

De acordo o secretário, a expectativa é de que os encontros estreitem o diálogo entre a Prefeitura de Maceió e esses setores representativos. Ele também ressalta que a Secretaria Municipal de Economia (Semec) irá trabalhar para que as demandas apontadas pelo Creci sejam resolvidas dentro do prazo de 15 dias, no máximo.

“As reivindicações trazidas pelo Conselho são justas e a Semec tem feito o possível para implantar medidas que facilitem e estimulem o desenvolvimento do setor imobiliário na capital. Reconhecemos o Creci como um interlocutor e representante legítimo dos corretores de imóveis do Município’’, disse.

Estiveram presentes no encontro o secretário adjunto de Administração Tributária da Semec, Alexandre de Albuquerque, o presidente do Creci-AL, Edison Brasileiro, o  conselheiro federal do Creci-AL, Sérgio Cabral, e o presidente do Sindimóveis-AL, Vicente Lopes. 

Secretário de Economia, João Felipe Borges, espera que os encontros consolidem a parceria entre os setores e a Prefeitura. Foto: Ascom Semec

ITBI

A reunião também discutiu os trâmites para a emissão do Imposto Sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e o valores de avaliação do tributo. Sobre o tema, o secretário adjunto, Alexandre de Albuquerque, explica que umas das principais dificuldades na liberação do ITBI está no envio de documentos e dados à Secretaria por parte do contribuinte.

“Muitos pedidos de ITBI chegam a Semec sem os documentos necessários e com dados incorretos, o que atrasa a avaliação por parte dos auditores fiscais e a liberação do tributo. Por isso, reforçamos a importância de conferir se esses dados e documentos enviados estão corretos e de acordo com o solicitado’’, apontou. 

Desde abril, a Semec disponibiliza o atendimento por telefone, com agendamento, para os casos de ITBI em aberto. A medida é uma forma de personalizar a oferta deste serviço e agilizar a liberação do imposto, além de manter um canal de comunicação transparente e acessível com o contribuinte. 

Luís Otávio Mendonça – (Estagiário) / Ascom Semec

Fechar