Secretária do DF elogia o Município por engajamento em políticas para mulheres

A Casa da Mulher Alagoana, iniciativa do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL) que conta com a parceria da Prefeitura de Maceió, recebeu, na tarde desta segunda-feira (31), a visita da secretária de Estado da Mulher do Distrito Federal, Ericka Filippelli. A gestora conheceu o trabalho dedicado ao acolhimento das mulheres vítimas de violência no Estado, compartilhou experiências e elogiou o Município pelo engajamento nesta política pública.

Secretária da Mulher do DF visita a Casa da Mulher Alagoana (Fotos: Itawi Albuquerque/ Secom Maceió)

Ericka foi recepcionada pela coordenadora do Gabinete de Políticas Públicas para a Mulher mulheres de Maceió, Ana Paula Mendes, pelas deputadas estaduais Fátima Canuto, Flávia Cavalcante e Ângela Garrote, das quais recebeu o convite para vir a Alagoas, e pela equipe multifuncional que presta o atendimento no espaço.

No DF, ela está instalando um programa do Governo Federal na cidade satélite de Ceilândia, que inova este modelo de casa de acolhimento. Com base nas informações preliminares que obteve das parlamentares alagoanas, a secretária avaliou que a Casa da Mulher Alagoana é um exemplo interessante a ser estudado. Quando conheceu as instalações e conferiu de perto como se dá o funcionamento, disse que ficou encantada com o que viu.

Engajamento em políticas públicas para mulheres em Maceió é elogiado durante encontro (Fotos: Itawi Albuquerque/ Secom Maceió)

“O que a gente precisa é de políticas públicas eficientes e integradas, como a que acontece em Alagoas. A violência contra a mulher é uma realidade em nosso país. Aqui, quando eu vejo a participação do município diretamente, mostra que a mulher está em primeiro lugar e fiquei sabendo do empenho do prefeito em relação a esta política. E é justamente desta maneira, pois só vamos vencer a violência contra a mulher, quando a gente ver a sociedade abraçando a causa”, destaca.

Segundo ela, o Distrito Federal tem sido uma referência na implementação de políticas públicas para as mulheres, voltadas para a proteção e promoção, e a troca de experiências acaba sendo positiva. “A pandemia está aí e as mulheres estão no topo da vulnerabilidade. Precisamos unir forças e creio que não temos tempo para aguardar, se já temos casos de sucesso e políticas implementadas com resultados satisfatórios”.

Para Ana Paula Mendes, a vinda da secretária Ericka se configura em um marco pela interação entre as gestões. Uma equipe da Casa da Mulher Alagoana já tinha visitado a Casa da Mulher Brasileira, em Brasília, para saber como era o fluxo.

(Fotos: Itawi Albuquerque/ Secom Maceió)

“Ficamos felizes porque ela gostou bastante do trabalho que estamos realizando por aqui e admirada com o empenho e atuação da Prefeitura de Maceió. A nossa intenção é importar alguns programas do DF para garantir a proteção ainda maior para as mulheres daqui, garantindo mais qualificação, promoção e também a conscientização dos ofensores. Ela tem um trabalho exemplar no DF e queremos trazer para o município. Além disso, a secretária também quer levar nossas ideias para lá e isso nos deixa muito lisonjeados”, avalia a coordenadora do Gabinete.

(Fotos: Itawi Albuquerque/ Secom Maceió)

A presidente da Comissão da Mulher na Assembleia Legislativa de Alagoas, deputada Fátima Canuto, revelou que uma das intenções de trazer a gestora ao Estado é colaborar com a construção da regulamentação da lei que institui o Programa de Cooperação e Código Sinal Vermelho como forma de pedido de socorro e ajuda para as mulheres em situação de violência doméstica ou familiar. A proposta foi aprovada na Casa de Tavares Bastos e aguarda sanção governamental.

Fechar