Prefeito JHC inaugura totem no Jacintinho: “Mais um equipamento de interação social”

Na Praça do Mirante, população e os visitantes também vão encontrar a história do bairro

A Praça do Mirante, no Jacintinho, um dos bairros mais populosos de Maceió, ganhou, nesta segunda-feira (21) um totem denominado “Eu Amo Jacintinho” e inaugurado pelo prefeito JHC. O gestor esteve no local para conversar com os moradores e apresentar o novo modelo da iniciativa que visa não apenas embelezar, mas valorizar o bairro.

No local também foi instalado um outro totem onde a população e os visitantes podem ler a história do Jacintinho. Para facilitar ainda mais a leitura, foi disponibilizado um QR Code. Basta apontar o celular para o leitor de barras e a história será lida na íntegra.

Visitantes podem ter acesso à história de um dos bairros mais populosos da capital alagoana. Foto: Edvan Ferreira

O artista responsável é o grafiteiro Joe Santos. “É uma forma de a gente potencializar ainda mais a beleza desse mirante aqui do Jacintinho. Iniciativas como essa parecem pequenas, mas abrilhantam ainda mais a nossa cidade”, disse JHC ao apresentar o novo equipamento aos moradores.

“Mais um ponto turístico que recebe um equipamento de interação social para que as pessoas se divirtam, façam seu exercício físico e possam ter a certeza de que estiveram no nosso Jaça, no Jacintinho”, ressaltou.

Valorização

Selma de Lima Santos praticava exercício com um grupo de colegas e aprovou a iniciativa. “É um espaço maravilhoso, que nos traz benefícios. O prefeito está de parabéns. Maceió e o Jacintinho merecem essa homenagem”, disse.

Natural de Aracaju (SE), Gerusa Santos Dantas mora há 12 anos no Jacintinho e destacou que o totem vai valorizar o bairro. “Acho legal e com esse nome vai valorizar mais. Aqui é um espaço de lazer para as crianças, os idosos”, pontuou.

Miriam da Silva Santos tem 16 anos e nasceu no Jacintinho. Ela disse que a iniciativa da Prefeitura de Maceió é importante para o bairro. “Era bom mesmo ser reconhecido o Jacintinho, estava precisando dessa iniciativa. As pessoas têm muito preconceito, acham que as pessoas daqui são mal, mas não. Aqui tem pessoas de bem. E a praça é boa para o bem-estar”, disse.

Fechar