Parque Municipal: colaboradores reintroduzem animais silvestres na natureza

As equipes do Parque Municipal de Maceió não são responsáveis apenas por garantir o bom funcionamento do espaço, mas também trabalham ativamente para garantir o bem estar animal. Nesse sentido, os colaboradores fizeram, neste domingo (9), a reintrodução de cinco exemplares de cágados à natureza, sendo dois de barbicha (Phrynops geoffroanus) e três muçuãs (Kinosternon scorpioides).

Cágados de barbicha (Phrynops geoffroanus) – Foto: Ascom Sudes

Por ser uma reserva ambiental dentro dos limites urbanos, é comum que alguns animais saiam do seu habitat natural e acabem indo parar nas casas ou ruas próximas. Os cágados foram recuperados pela população que reside nos arredores do Parque e devolvidos para o trato correto.

Muçuã (Kinosternon scorpioides) – Foto: Ascom Sudes

A coordenadora dos Parques de Maceió, Rafaela Brito, diz que, devido a liberdade de locomoção que possuem, não existe o controle sob as espécies nativas que vivem no Parque e reforça o quão é importante essa reintrodução.

“Infelizmente, não podemos controlar por onde se locomovem e procuram seus alimentos. A população tem um papel importante tirando os animais do perigo que a cidade oferece e nos devolvendo. A reintrodução é fundamental para o equilíbrio da nossa fauna e flora. Após os animais passarem por uma triagem, eles retornam ao seu habitat natural, onde seguimos acompanhando pós-soltura. Isso acrescenta muito para o desenvolvimento do ecossistema”, afirmou a coordenadora.

Animais passam por triagem antes de retornar ao habitat natural. Foto: Ascom Sudes

Ao receber esses animais silvestres, os colaboradores do Parque fazem exames para verificar se há ferimento ou algo que prejudique sua vida a partir dali. Os bichos passam a ser monitorados e alimentados para que se recuperem. Após determinado prazo, caso não haja nenhum tipo de impedimento, são reintroduzidos na natureza.

Colaboradora trata os animais. Foto: Ascom Sudes

“Caso seja encontrado na rua ou em alguma residência, orientamos que esses bichos sejam devolvidos para algum órgão ambiental. Jamais devemos domesticar animais silvestres sem autorização. Isso é crime”, completou Rafaela.

Após serem cuidados, os animais são reintroduzidos na natureza. Foto: Ascom Sudes

Alexandre Vieira/Ascom Sudes

Fechar