NOVA AUDIÊNCIA – MPT discute denúncias de redução salarial na Casa de Saúde de Arapiraca

Foto da internet

No dia 17 de abril uma nova audiência para discutir a denúncia de redução salarial indevida, que estaria sendo praticada pela Casa de Saúde e Maternidade Nossa Senhora de Fátima, em Arapiraca, no agreste do estado. As informações são do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Alagoas (Sineal).

A nova data foi marcada em uma audiência que aconteceu no último dia 04, no Ministério Público do Trabalho de Arapiraca (MPT). A audiência contou com as presenças da assessora jurídica, Cintia Lopes e da diretora do Sineal, Cinthia Carvalho. A audiência teve o propósito de estabelecer um acordo com relação ao pagamento da diferença salarial, após redução que ocorre desde agosto de 2019.

De acordo com Cintia Lopes, a diretora da Casa de Saúde negou as acusações. O sindicato informou que possuía todas as provas da denúncia. Após o promotor afirmar que iria entrar com uma ação civil pública contra a maternidade, uma nova audiência foi então marcada para o dia 17 de abril.

Segundo o promotor, a instituição precisa pagar imediatamente o valor correto às enfermeiras, bem como o retroativo de agosto de 2019 até o presente momento. Ainda conforme nota publicada no site do Sineal, o promotor ressaltou que elas não podem sofrer retaliações e solicitou a garantia de emprego das trabalhadoras.

Denúncia!

Em outubro do ano passado surgiu a denúncia de redução salarial na ordem de 40%, naquela oportunidade, através de Nota, a Casa de Saúde Nossa Senhora de Fátima negou a redução. A direção informou que a nova gestão estava fazendo adequações, tanto relacionadas aos atuais profissionais, quanto aos contratados, tudo dentro da legalidade.

Essas adequações teriam como intuito atender as normas exigidas pelo Município e Estado. “Desconhecemos essa informação de redução salarial,” informou a direção da unidade de saúde.

 

Fechar