MAIS PERTO DA CURA? – Vacina contra covid-19 desenvolvida por cientistas israelenses se mostra promissora

Grupo de pesquisa prevê teste em humanos para 1º de junho

Imagem da Internet

Uma nova vacina oral contra o novo coronavírus está sendo desenvolvida por um time de cientista em Israel. Os pesquisadores afirmam ser capazes de produzir um componente ativo para a droga “nos próximos dias” e que os testes em humanos devem iniciar em 1º de junho, deste ano.

“Nós estamos nos estágios finais e em poucos dias nós teremos as proteínas – componente ativo”, contou o doutor Chen Katz, líder do grupo de biotecnologia Migal.

Os pesquisadores passaram os últimos quatro anos desenvolvendo uma vacina para o vírus da bronquite infecciosa (IBV), que causa uma doença brônquica que afeta aves. A eficácia da vacina foi comprovada em ensaios pré-clínicos realizados no Instituto Veterinário. O combate ao coronavírus seria uma adaptação da pesquisa.

Um estudo feito em galinhas mostra que o vírus tem características genéticas similares ao covid-19. Os pesquisadores agora tentam completar a vacina em até três semanas e, se os resultados forem positivos, é possível que ela chegue ao mercado em 90 dias.

A pesquisa é financiada pelo Ministério de Ciência e Tecnologia em Israel. Em 27 de fevereiro, o ministro Ofir Akunes já havia adiantado todas as aprovações necessárias para que o processo de finalização e comercialização da vacina seja facilitado.

Pelo mundo

Pesquisadores do mundo todo buscam uma vacina contra o novo coronavírus, que já infectou 1 milhão de pessoas e impôs uma quarentena global inédita para poupar vidas e não superlotar hospitais e serviços de saúde, tanto públicos quanto privados.

Em Israel, pesquisadores também já testaram um projeto de vacina em roedores. Ainda assim, pesquisadores estimam que os testes clínicos e a produção em massa de vacinas contra o novo coronavírus ainda devem levar, com otimismo, cerca de um ano. Por ora, pesquisas mostram que o distanciamento social é a medida mais eficaz para conter tanto o avanço do vírus quanto os danos à economia.

Fechar