Maceió terá Plano Diretor de Tecnologia e Informática

Reunião comandada pelo prefeito JHC, com a presença do presidente da Assespro, deu início às discussões

O prefeito de Maceió, JHC, comandou, nesta terça-feira (18), reunião para a implantação do Plano Diretor de Tecnologia e Informática (PDTI) pela Prefeitura de Maceió. O encontro contou com a participação do presidente da Assespro (Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação) nacional, Ítalo Nogueira.

Foto: Edvan Ferreira

O prefeito destacou a importância do plano, ao dizer que será um avanço para a gestão. “A gente tem que ser referência nacional, um exemplo, estar em uma posição de vanguarda”, disse o prefeito JHC, autor, enquanto deputado federal, do marco legal das startups (Projeto de Lei Complementar 146/19), que pretende incentivar as empresas de inovação no país.

À época, lembrou JHC, foi ele uma das primeiras pessoas a tocarem no assunto no Congresso Nacional. “Quando muitos achavam que era balela, quando não se tinha sequer uma frente parlamentar, uma discussão, a visibilidade que hoje se tem, uma estruturação nem de legislação”, ressaltou.

Foto: Edvan Ferreira

O presidente da Assespro, Ítalo Nogueira, destacou que esse é o momento para pôr em prática o PDTI. “Como presidente de uma associação tão importante de tecnologia da informação nacional, a gente tem conversado com muitos gestores públicos que esse é o momento. A pandemia tem levado muitas vidas, a gente tem ficado muito triste com esse impacto, mas também teve essa antecipação da transformação digital, que é uma necessidade das empresas e dos governos”, ele disse.

Presidente da Assespro, Ítalo Nogueira. Foto: Edvan Ferreira

Com o início da gestão do prefeito JHC, disse ainda Ítalo Nogueira, “Maceió, dá uma sinalização muito positiva para o investimento em tecnologia da informação e comunicação. A gente fica muito feliz quando enxerga esse tipo de iniciativa por parte da gestão pública e apoiará sempre para que possam desenvolver os planos e a execução da melhor maneira possível”, declarou.

Os secretários de Governança, Antonio Carvalho, e de Gestão, Rayane Tenório, explicaram os objetivos do PDTI.

“Desde quando a gente começou a transição, percebeu que a parte de tecnologia era deixada de lado. A gestão era bastante analógica, os sistemas não se conversavam. Quando existiam os sistemas para resolver os problemas, a gente percebia que era preciso um norte, uma direção, para que todo esse arcabouço de tecnologia pudesse favorecer um ambiente de governo digital”, disse Antonio Carvalho.

Secretários Antonio Carvalho (Governança) e João Felipe (Economia). Foto: Edvan Ferreira

Carvalho lembrou que não há como falar de transformação digital sem que se fale das bases para que isso aconteça: que são as pessoas, os processos e o recurso de tecnologia. “A gente percebia que estava tudo muito desintegrado, desarticulado e isso fazia com que a gente ainda tivesse na segunda década dos anos 2000, mas só que com a cara dos anos 90. Com tudo funcionando em papel, com as secretarias sem conversar. A gente percebia um abandono dessa questão da tecnologia. Nossa tecnologia é toda antiquada”, informou.

A secretária Rayane Tenório disse que os problemas existem nos três pilares: estrutura, serviço e sistema. “A gente chegou aqui e pegou realmente um caos. Não havia essa comunicação entre as pastas. Estamos trabalhando para alinhar tecnologia ao serviço público”, ressaltou.

Secretária de Gestão, Rayane Tenório. Foto: Edvan Ferreira

Fechar