Julho Amarelo: webinário debate forma de cuidado pós-Covid-19

Debate terá início às 16h, sob a mediação da médica Leila Tojal

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) promove nesta quinta-feira (22), o segundo momento do webinário alusivo ao Julho Amarelo, realizado em celebração ao Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, comemorado em 28 de julho. A campanha deste ano foi direcionada pelo tema “Não vamos deixar ninguém para trás”.

Na atividade de hoje, o médico Eric Besseti abordará o tema “Remodelando o Cuidado com as Hepatites Virais na Era da Covid-19”. Besseti é especialista em Medicina Interma e Gastroenterologia, mestre e doutor em Gastroenterologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e membro titular da Sociedade Brasileira de Hepatologia. A transmissão será através do canal do Youtube da FANUT/UFAL, e as inscrições estão sendo feitas por meio do link https://forms.gle/E1qs99D3f8swwkWS7.

O debate terá a mediação da médica hepatologista Leila Tojal e será direcionado aos médicos. A atividade, com início marcado para às 16h, conta com a parceria do Programa Estadual de Infecções Sexualmente Transmissíveis (SESAU/AL), da Sociedade Alagoana de Gastroenterologia e da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Alagoas.

Coordenadas no município pela Gerência de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), HIV/Aids e Hepatites Virais (HV), as ações da campanha, voltadas para a prevenção e diagnóstico das HV, tiveram início na primeira semana deste mês com a intensificação das ações de testagem, além da realização de palestras educativas nas salas de espera das unidades de saúde de Maceió.

A doença – A hepatite é uma inflamação do fígado que pode ser causada por vírus ou pelo uso de alguns medicamentos, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas ou genéticas. Nem sempre a doença apresenta sintomas, mas quando aparecem, estes se manifestam na forma de cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

A melhor forma de prevenção são os cuidados para não se expor a situações de risco como relações sexuais sem preservativo, quando for a manicure ou dentista se certificar de que aquele material foi esterilizado em autoclave, verificar se as condições clínicas estão adequadas, entre outros cuidados que podem evitar a infecção por hepatite B e C, uma das mais comuns.

Cássia Oliveira – Ascom SMS

Fechar