Escoteiros florestais do Cras Dom Adelmo desenvolvem ações de proteção ao meio ambiente

São quase 10 anos de atividades com meninos e meninas do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo

O Centro de Referência de Assistência Social, Cras Dom Adelmo Machado, possui há quase 10 anos, um grupo de escoteiros florestais para incentivar cerca de 30 crianças e adolescentes do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos a preservar e a defender o meio ambiente.

O grupo é acompanhado pela educadora social, Maria José Barbosa, que relata a importância das atividades para o autocontrole e ainda melhorar a interação social entre os participantes, quando acontecem os acampamentos.

“O grupo de escoteiros florestais exerce uma importância muito grande na vida desses jovens que aprendem a defender o meio ambiente. Desperta neles a interação e a integração com a natureza, já que as atividades são feitas ao ar livre. Eles aprendem a escutar, ter autocontrole e ainda exercitam a paciência. Sem contar que quando nós vamos fazer os acampamentos, lá não tem internet, eles ficam totalmente longe das redes sociais”, revela Maria.

Nos acampamentos, os jovens dormem nas barracas, preparam a própria alimentação, aprendem a fazer fogo e a proteger o meio ambiente. Os trabalhos são realizados seguindo um plano voltado para a faixa etária dos participantes.

Para desenvolver a fantasia, os trabalhos são feitos com os florestinhas, de 7 a 10 anos. O despertar do espírito de aventura controlada é realizado com o juvenil, de 11 a 14 anos. Há ainda o sênior, 15 a 17 anos e os pioneiros, de 18 a 20 anos. As ações são desenvolvidas para despertar lideranças entre os jovens.

“Participo dos escoteiros florestais. É muito bom. Tem as atividades e as instruções, tem acampamento, tem a hora de escutar e tem a hora da gente brincar”, conta Alexandra, de 11 anos.

Alysson ensina que a missão dele como escoteiro florestal é defender e preservar o meio ambiente. “O escoteiro florestal é um aprendizado de vida. A nossa missão é defender e preservar o meio ambiente. Aprendemos a obedecer aos mais velhos e várias atividades como técnicas de fogo, corda, caminhada e outras coisas”, diz o adolescente.

Surgimento

Tudo começou por iniciativa do hoje coronel da reserva da Polícia Militar de Alagoas, Luiz Fidelis Torres. Em 1996, ele criou os escoteiros florestais. Depois, ao se mudar para o bairro Prado, onde fica localizado o Cras Dom Adelmo Machado, o defensor da natureza levou o projeto para a coordenação da unidade.

A criação dos escoteiros florestais foi aprovada pela coordenação e teve o aval da garotada. Foi assim, que por volta de 2012, nasceu o grupo formado por crianças e adolescentes do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. A criação dos escoteiros florestais no Cras Dom Adelmo Machado foi para firmar a parceria e estreitar os laços com a comunidade, com as famílias da região.

Em novembro, os escoteiros florestais completam 25 anos de existência. A data será comemorada num novo acampamento que será realizado entre os dias 13 a 15, numa fazenda no município de Flexeiras, que se tornou a base do grupo. A propriedade foi adquirida para desenvolver os trabalhos, o que fez de Maceió a sede mundial dos escoteiros florestais.

As ações do grupo se tornaram um estilo de vida que é praticado em outros estados brasileiros, a exemplo de Sergipe, Rio Grande do Norte, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, além de ter rompido as fronteiras brasileiras, já que há escoteiros florestais em Portugal.

“No Cras Dom Adelmo, as reuniões ocorrem aos sábados. Nos encontros são discutidos temas de inclusão dos jovens para a defesa do meio ambiente e a valorização da prestação de serviços para a comunidade. O lema do grupo é preparar para servir. O trabalho é desenvolvido para servir a comunidade e o ponto alto são os acampamentos”, informa o coronel Fidelis.

Crianças e adolescentes aprendem a preservar a natureza. Foto: Divulgação

Cícero Rogério / Ascom Semas

Fechar