Educação promove lives para promoção dos direitos de pessoas com deficiência

Semana da pessoa com deficiência busca provocar discussões relacionadas a inclusão

Para promover uma maior compreensão sobre os direitos das pessoas com deficiência e assegurar o bem-estar dessas pessoas, a Secretaria Municipal de Educação (Semed), realiza de 29 a 2 dezembro, a partir das 9 horas, no canal do Youtube da Semed, a “Semana da Pessoa com deficiência”.

O evento que tem como público-alvo diretores, coordenadores pedagógicos, professores e profissionais de apoio escolar contará com sete lives divididas entre os quatro dias de evento. A coordenadora do setor de educação especial da Semed, Cláudia Valéria, explica a motivação por trás da realização das lives e ressalta, ainda, os pontos que serão discutidos durante a semana de seminários.

Educação inclusiva será foco de ação. Foto: Ascom Semed

“É um momento de reflexão e de debate dos direitos e deveres das pessoas com deficiência. É mais um evento formativo que provoca discussões sobre a importância do respeito, da inserção da pessoa com deficiência em todos os ambientes. A Educação vem proporcionando essa formação para finalizar as discussões pertinentes do ano de 2021 com debates sobre a pessoa com deficiência e as dificuldades de permanência na escola, aprendizagem e equidade”, disse Cláudia.

Maria Tereza Montoan, doutora em Educação pela Unicamp. Foto: Cortesia

A doutora em Educação pela Unicamp de São Paulo, Maria Tereza Montoan, abre a semana da pessoa com deficiência com a live “Garantia da equidade no ensino híbrido, no período da pandemia Covid-19”. Com 20 anos de experiência em palestras voltadas para o diálogo dos direitos das pessoas com deficiência, a educadora diz que se sente realizada em falar sobre a causa.

“Me sinto muito bem em poder conversar sobre as pessoas com deficiência, a convivência de todos no ambiente escolar é parte da formação das pessoas para a vida cidadã. A inclusão no Brasil é possível do ponto de vista legal, pois é prevista na constituição e em nossa lei educacional. A escola é para todos igualmente”, disse Tereza.

Nathan Araujo (estagiário) / Ascom Semed

Fechar