DESEMPREGO – Número de pessoas sem emprego cai para 11,2% em janeiro

De acordo com da Pnad Contínua, os dados divulgados nesta sexta-feira (28) pelo IBGE mostram os números referentes a taxa de desemprego no país. Essa porcentagem é de acordo com o trimestre que se encerrou em janeiro e corresponde a quase 12 milhões de brasileiros sem emprego, chegando a queda de 0,4 pontos percentual em relação ao trimestre anterior.

O número de pessoas que trabalham com carteira assinada em empresa privada chegou a atingir neste trimestre 33,7 milhões, já a taxa de informalidade caiu e chegou a atingir 40,7% da população ocupada, equivalente a 38,3 milhões de pessoas com trabalhos informais.

Segundo Adriana Beringuy, analista do IBGE, a melhora no mercado de trabalho brasileiro nesse início do ano se deu por conta do aumento da inatividade, ou seja, pessoas que estão fora da força de trabalho. Trata-se de um movimento sazonal em janeiro, quando há um recuo na procura por trabalho por conta de férias coletivas e escolares.

Cerca de 873 mil pessoas fazem parte do grupo que não procuram emprego, esse registro é feito com base nos últimos três meses. Para a analista do IBGE, essa interrupção na procura de trabalho foi decisiva, cresceu mais que a própria força de trabalho e ocupação, e é um movimento típico em janeiro.

Os números por trás do desemprego:

– 11,9 Milhões de desempregados

São os brasileiros que buscaram uma vaga na semana da pesquisa do IBGE, mas não encontraram.

– 26,4 Milhões de subutilizados

A conta considera os trabalhadores desempregados, subocupados e a força de trabalho potencial. A redução de 2,7% se comparado ao trimestre encerrado em outubro, e de 3,4% na comparação com o mesmo período do ano passado.

– 6,6 Milhões de subocupados por insuficiência de horas

Aqueles que trabalharam menos de 40 horas semanais e gostariam de ter uma jornada maior. A taxa ficou estável se comparado ao mesmo período do ano anterior

– 7,7 Milhões na força potencial

Considera quem procurou uma vaga, mas por algum motivo, como cuidado com um parente, não estava disponível para trabalhar; e quem não procurou, mas estava disponível, considerando os desalentados.

Fechar