Cooperação entre Educação e Estado viabiliza ações para prevenir a violência

Primeiras formações ocorrerão junto aos professores da rede municipal, instruindo sobre a identificação de casos de abusos

Secretaria Municipal de Educação recebeu 1.250 cartilhas para o reforço da temática nos professores – Foto: Ascom Semed

Professores da rede municipal de educação devem começar, em breve, uma formação objetivando a prevenção à violência com foco, inicialmente nas crianças de zero a seis anos. O termo de cooperação técnica foi assinado esta semana pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), com Secretaria de Prevenção à Violência (Seprev) para capacitar professores em questões relacionadas à prevenção dos diversos tipos de violências sofridos por crianças ainda na primeira infância.

A superintendente da Criança e do Adolescente Samylla Maya, em visita à Secretaria Municipal de Educação, formalizou a entrega de 1.250 cartilhas para o reforço da temática nos professores. A secretária-adjunta de Educação, Emília Caldas, diz que a formação será importante para a prevenção do abuso infantil na capital. “Os professores terão quatro momentos formativos, com temáticas que visam capacitá-los a identificar sinais que indicam que a criança pode ser vítima de violência, como abordar essas crianças e agir mediante esses casos”, conta.

A cartilha entregue ao fim da formação servirá como um guia aos professores para as possíveis situações de identificação da violência na escola, e a capacitação deve se iniciar em julho. Após o início das aulas presenciais, a atenção se voltará às crianças e à comunidade escolar.

A cartilha entregue ao fim da formação servirá como um guia aos professores para as possíveis situações de identificação da violência na escola – Foto: Ascom Semed

“Muitas famílias não têm esse entendimento do que é violência, do que são maus tratos, negligência, e esse projeto vem para abrir essa discussão. Sabemos que a maioria das violências acontecem dentro de casa, então pensamos nos três eixos da prevenção: a escola, as crianças e os pais”, explica Samylla Gouveia, superintendente da Criança e do Adolescente da Seprev.

A formação também terá um direcionamento legal, com os professores buscando entender o Marco da Primeira Infância e toda sua base legal.
“Há crianças que são abusadas e nem tem consciência de que são vítimas de abuso. Queremos que elas identifiquem, que elas saibam se proteger desde cedo”, explica a secretária Emília que espera que por meio da Educação possa prevenir o abuso infantil e todo e qualquer tipo de violência doméstica.

Luan Oliveira (Estagiário) / Ascom Semed

Fechar