Carnes apreendidas serão doadas ao Parque Municipal para alimentar os jacarés

Em uma reunião, que aconteceu nesta sexta-feira (21) na sede da Vigilância Sanitária (VISA), as diretorias do órgão e da Superintendência Municipal de Desenvolvimento Sustentável (Sudes) fecharam uma parceria para destinar as carnes apreendidas pela VISA ao Parque Municipal de Maceió.

Os alimentos se tornarão alimento dos jacarés que vivem na reserva. Por serem animais selvagens e que se alimentam até de carcaças de outros bichos, a carne imprópria para consumo humano não os faz mal.

Jacaré-do-papo-amarelo. Foto: Dpc_filho

Após a apreensão de 700kg de carne bovina, frango e suína na última quarta-feira (19), 300kg desse montante, que iriam para o aterro sanitário, foram separados para alimentar cerca de 30 jacarés que vivem no lago do Parque Municipal.

Foto: Alexandro Cavalcante

Além disso, de acordo com a coordenadora dos parques da Sudes, Rafaela Brito, a carne passará por inspeção antes de ser servida aos animais. “Como médica veterinária, farei a análise dos alimentos que forem doados para nós. Apesar dos jacarés serem predadores natos e que comem diversas coisas na natureza, jamais daremos carne com aspecto de podre”, disse Brito.

Coordenadora dos parques, Rafaela Brito, e Airton dos Santos, coordenador da Vigilância Sanitária de Maceió. Foto: Ascom Sudes

Como prevenção, Airton dos Santos, coordenador da Vigilância Sanitária de Maceió, explica que os alimentos em estado de putrefação serão separados dos que forem doados ao parque.

“Estamos fazendo um trabalho contínuo nos supermercados, açougues, lanchonetes, para retirar o risco sanitário desses estabelecimentos e, com isso, já apreendemos mais de 9 toneladas de alimentos impróprios para consumo humano”, explica Santos.

“Desses alimentos, aqueles que estiverem apenas com o prazo de validade vencido, fizemos esse acordo para doar ao Parque Municipal para alimentar os jacarés que existem no local, dando nova destinação aos produtos. Mas tomaremos cuidado para que alimentos em estado de putrefação sejam separados e levados ao aterro sanitário”, afirmou.

Alexandre Vieira/Ascom Sudes

Fechar