Benedito Bentes recebe ação educativa de combate ao abuso sexual infantil

Bairro ocupa primeira posição em registros de casos
Ação aconteceu no bairro no Terminal Rodoviário Benedito Bentes. Foto: Ascom Semas

A Campanha ‘Não Finja Que Não Ver’, da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), segue conscientizando a população nos bairros mais vulneráveis e com mais ocorrências de casos de abuso e exploração sexual infantil. Nesta quarta-feira (19), a ação aconteceu no bairro do Benedito Bentes, no Terminal Rodoviário.

Em 2020, o bairro Benedito Bentes foi o que mais registrou casos de abuso sexual de crianças e adolescentes em Maceió, com 44 casos – de acordo com dados fornecidos pela Rede de Atenção às Vítimas de Violência Sexual (RAVVS) da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). No ano de 2019, foram registrados 10 casos.

“No ano 2020, ocorreu um aumento de quase 200% de casos no bairro.  Nesse momento uma criança pode estar sendo abusada e a sociedade deve fazer sua parte não se calando e denunciando. Com a campanha, queremos mostrar para a população que rede de atendimento está funcionando e o Conselho Tutelar é uma das portas de entrada para denúncia”, disse Leila Marcolino, presidente do Conselho Tutelar da Região X.

O secretário municipal de Assistência Social, Carlos Jorge, que participa ativamente da campanha, destacou a importância desse trabalho de conscientização nas ruas de Maceió, uma vez que na infância foi vítima deste tipo de violência.

“Fui vítima de abuso sexual, sei como é traumático, sei como é difícil. Então, precisamos agir como poder público com prioridade e urgência, porque a cada 1 hora três crianças são abusadas no Brasil. Mas é muito importante também a restauração dos laços familiares, ter um lar estruturado, pais presentes que se importam  e conversam com seus filhos. Isso faz muita diferença”, disse Carlos Jorge.

As ações da campanha ‘Não Finja Que Não Ver’ fazem parte das atividades  do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, comemorado no dia 18 de Maio, em memória à menina Araceli Crespo, de 8 anos de idade, que foi sequestrada, violentada e assassinada em 18 de maio de 1973.

É uma data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes.

A equipe do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) Benedito Bentes também entregou panfletos da campanha e deu orientações,  no Ponto de Vacinação contra a Covid-19, localizado na Praça Padre Cícero.

Já os Centros de Referência de Assistência Social (Cras) Selma Bandeira e Área Lagunar também realizaram uma ação de conscientização com usuários, e atividades com crianças e adolescentes abordando o tema, e também distribuíram brindes.

Vanessa Napoleão/Ascom Semas

Fechar