ALERTA REAL – Príncipe Charles é diagnosticado com coronavírus

Aos 71 anos, herdeiro do trono do Reino Unido testou positivo para Covid-19

Foto: Reprodução

Na última quarta-feira, 25, autoridades do Palácio de Buckingham informaram que o filho mais velho da rainha Elizabeth II e herdeiro do trono, príncipe Charles testou positivo para o coronavírus.

Aos 71 anos, ex-militar e com algum histórico de atleta, o primeiro na linha de sucessão ao trono está isolado com a esposa Camilla Parker-Bowles, duquesa de Cornuália,72, em uma residência na Escócia. O comunicado afirma que Charles teve sintomas leves e, fora isso, “está com boa saúde e tem trabalhado de casa nos últimos dias”. Funcionários que tiveram contato com ele estão em isolamento. Já se sabe que a Duquesa não foi contaminada.

A nota oficial também fala que Charles participou de “um grande número de compromissos públicos nas últimas semanas”. Num desses compromissos, ele pode ter sido infectado e também pode ter passado o vírus.

A rainha está bem. Mãe e filho se encontraram pela última vez há 13 dias. O Palácio de Buckingham diz que Elizabeth II, no alto dos seus 93 anos, vem respeitando todas as recomendações. Para se resguardar, na sexta-feira (20) ela foi para o Castelo de Windsor, a 40 minutos de Londres.

Monitoramento diário

Em entrevista à revista Tatler, Anna Hemming, da Clínica Cranley, que atuou durante sete anos como médica residente da família real, disse que os membros da realeza britânica estão sendo monitorados diariamente por uma equipe médica durante a pandemia do novo coronavírus. Elizabeth II e Philip, 86, são as maiores preocupações.

Plano Funeral

Após a confirmação que o príncipe de Gales estaria infectado pelo novo coronavírus, um protocolo teve que ser posto em prática. Sim, a revisão do plano funeral.

O “Operation Menai Bridge” (Operação Ponte de Menai) foi o nome dado ao plano funeral de Charles. No entanto, de acordo com a publicação, tudo foi pensado para um mundo livre de pandemia. Por isso, além de ser retirado da gaveta após anos, ele precisou ser revisado pelas autoridades. Um dos itens que deve ser retirado do documento é o cortejo fúnebre, por exemplo.

Todos os membros da realeza britânica ganham o plano funeral assim que completam 60 anos. O da rainha Elizabeth II, por exemplo, é chamado de “Operation London Bridge” (Operação Ponte de Londres), e de seu marido, príncipe Philip, foi batizado de “Operation Forth Bridge” (Operação Ponte Forth).

Fechar