Agentes de endemias mantêm visitas a residências com protocolos sanitários

Atividade foi adaptada por causa do risco de contaminação pelo coronavírus

Mesmo com a pandemia do novo coronavírus, os agentes de combate às endemias, da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), seguem visitando residências de Maceió para combater o mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chykungunia.

A abordagem da visita foi modificada e manteve um caráter mais educativo. Os agentes repassam ao morador, da porta da residência, informações sobre os cuidados necessários para garantir a não proliferação do vetor. Quando há passagem lateral na residência, eles fazem a vistoria e aplicação de larvicida nos locais.

As visitas têm caráter educativo e acontecem de segunda a sexta-feira na capital (Fotos: Cristiano Gabiatti/ Ascom SMS)

“No início da pandemia, sentimos muita resistência por parte dos moradores. Muitos não nos deixavam entrar, por receio de contaminação. Depois dessa adaptação, percebemos uma maior aceitação e, agora, estamos conseguindo desenvolver nosso trabalho de prevenção”, destacou Anderson de Araújo, supervisor de área do 5º Distrito Sanitário de Maceió.

Nas visitas de rotina, os agentes utilizam equipamentos de proteção individual recomendados pelo Ministério da Saúde

Josias Santana mora no Jacintinho e é um dos maceioenses que, rotineiramente, são beneficiados com o trabalho dos agentes de endemias. Ele fala sobre a importância que esse serviço oferece para o aumento da qualidade de vida de todos da região.

“Acho que o trabalho dos agentes de endemias é fundamental, pois eu já presenciei muitos de meus vizinhos em situação crítica por conta desse mosquito. Alguns deles, inclusive, até hoje, apresentam sequelas. Precisamos ficar mais atentos, evitar água parada, manter caixas d’água tampadas e bem cuidadas. São atitudes básicas de cuidado e amor com a própria saúde e a do próximo”, enfatizou Josias.

Atualmente, Maceió conta com 36 equipes de agentes de endemias, que atuam nos 11 Distritos Sanitários da cidade. Dentre as funções destes trabalhadores, está a vistoria nas residências, depósitos, terrenos baldios e estabelecimentos comerciais na busca de focos endêmicos. Além disso, os profissionais também aplicam larvicidas e inseticidas.

Para conter a proliferação do mosquito, a SMS disponibiliza o serviço de Disque Denúncia, que funciona pelo (82) 3312-5495, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, pelo qual a população pode informar e solicitar visitas a locais que podem ser foco do vetor da dengue ou de outros animais que transmitem doenças, como ratos, escorpiões e barbeiros.

Polyanna Monteiro / Ascom SMS

Fechar