Saques do FGTS não ajudam a movimentar economia no setor da construção civil em Alagoas

Você sacou seu FGTS? Se por um lado o saque imediato do dinheiro foi bom para algumas pessoas, do outro ele vem causando alguns impactos no setor da construção civil, que sempre apontou a medida do governo federal como prejudicial não só para o setor, como a economia em geral.

Para o presidente do Sindicato da Indústria da Construção do Estado de Alagoas, Alfredo Brêda, a liberação do dinheiro para os trabalhadores gerou um impacto positivo naquele primeiro momento, mas na avaliação da economia total não, pois o dinheiro foi gasto de várias formas e não gerou a movimentação econômica que se esperava.

Segundo ele, se a injeção dos R$ 40 bilhões do FGTS fosse aplicado na construção civil o país teria uma movimentação da economia por quase 2 anos, já que daria para se construir mais de 400 mil casas dentro programa Minha Casa Minha Vida, o que geraria milhares de empregos formentando a geração de renda das famílias.

“Para o Minha Casa Minha Vida, nós só sabemos o impacto que isso irá causar no próximo ano, pois vai depender muito do que o governo federal esteja planejando para o ano que vem. Se o governo não colocar recursos do FGTS, com certeza passaremos por dificuldades”, colocou Brêda.

Já o presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Alagoas (Ademi-AL), Jubson Uchoa, afirma que o FGTS sempre foi e ainda é a principal fonte de recursos para financiar imóveis de baixa renda (MCMV) pois sempre teve a menor taxa de juros do mercado.

“Embora estejamos vivendo um momento extraordinário na taxa selic, 5% ao ano, com previsão de 4,5% ainda este ano a utilização do FGTS para saque tem deixado o mercado imobiliário preocupadíssimo. Achamos que o governo deveria esclarecer sua real intenção e qual a nova fonte de recursos que possa substituir caso continue utilizando em áreas diferentes para as quais foi criado”, afirmou ele.

24/11/2019

Fechar