NINGUÉM PASSA! – Exército paraguaio coloca arame farpado em fronteira com o Brasil

O objetivo é restringir circulação de pessoas entre os dois países para evitar o avanço do novo vírus

Foto de Martim Andrada

A fronteira terrestre entre Brasil e Paraguai, nas vizinhas Ponta Porã e Pedro Juan Caballero, agora está com mais um obstáculo de restrição para evitar a circulação de pessoas entre os dois países. O Exército paraguaio colocou arame farpado nas barreiras feitas por moradores, semana passada, com pneus e tambores plásticos.

No último final de semana, os paraguaios cavaram valas na fronteira com o município sul-mato-grossense de Paranhos. Já na tarde desta quarta-feira, 25, além de parar veículos e pedestres que tentavam cruzar a fronteira, o Exército ‘desinfetava’ carros e motos autorizados a passar de um país para o outro.

O arame integra mais uma ação de fechamento das fronteiras do Paraguai, determinada pelo governo do país, no dia 15 de março. O Brasil também mandou fechar as ligações com outros países. Tudo para evitar a proliferação do coronavírus.

No Brasil, segundo últimos dados divulgados pelo Ministério da Saúde, são 63 mortes e 2.617 casos confirmados de Covid-19. Em Mato Grosso do Sul, são 24 casos de Covid-19 e 38 suspeitos. O estado não registrou nenhum óbito pela doença até o momento.

No Paraguai o registro é de 41 casos de Covid-19 e três mortes.

Restrição de circulação de pessoas

Diversos municípios brasileiros restringiram a circulação de pessoas com determinações referentes a horários e fechamento do comércio, como em Campo Grande, Bonito, Dourados e Ponta Porã. Na maioria há toque de recolher entre a noite e a madrugada. Na capital, a situação ficou mais rigorosa: entre às 20 e às 5h, somente podem ficar nas ruas quem trabalha com serviço essencial e delivery.

Fechar