Destaque

Na Casa Branca, Trump e Bolsonaro trocam camisas de futebol

O presidente Jair Bolsonaro se encontrou nesta terça-feira com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca. E não foram só elogios que eles trocaram: os dois também deram um ao outro camisas das seleções de futebol dos seus respectivos países, numa demonstração de cordialidade enquanto iniciam uma nova relação entre Brasília e Washington.

Bolsonaro chegou de carro à Casa Branca e foi recebido na entrada da Ala Oeste por Trump, que o esperava. No Salão Oval, Trump primeiro entregou uma camiseta da seleção americana a Bolsonaro, dizendo que o Brasil tem ótimos jogadores e que “se lembra muito de Pelé”. O presidente brasileiro retribuiu com uma camiseta da seleção com a número 10, usada pelo lendário jogador.

Elogiando a campanha de Bolsonaro, Trump destacou que os dois países nunca estiveram tão próximos quanto agora. Ele afirmou ainda que a aliança com o Brasil nunca foi tão grande, diz o Extra.

— A campanha dele foi incrível. Algumas pessoas disseram que lembraram da nossa campanha quando pensaram na campanha dele.

Como havia feito na véspera, Bolsonaro ignorou as seguidas visitas de seus antecessores aos Estados Unidos, e disse que o Brasil mudou “após algumas décadas de presidentes antiamericanos”:

— É uma satisfação estarmos nos Estados Unidos depois de algumas décadas de presidentes antiamericanos. O Brasil mudou a partir de 2019. E obviamente temos muito a conversar, muita coisa a oferecer um para o outro para o bem dos nossos povos — afirmou o presidente. — Temos muito em comum com o senhor Donald Trump e isso pra mim é motivo de orgulho e satisfação. Ele quer uma America grande, como eu quero um Brasil grande também. A partir deste momento o Brasil mais do que nunca esta engajado com os nossos Estados Unidos.

Em seu primeiro discurso público nos Estados Unidos, um dia antes, Bolsonaro se comparara diversas vezes ao presidente americano e afirmara que os dois países têm população conservadora, o que pode sustentar acordos:

— O povo brasileiro é muito parecido com o americano. Conservador, temente a Deus, e portanto cristão, e não aceitava mais crescimento da esquerda — disse, reiterando que o Brasil tem um “presidente amigo dos Estados Unidos”.

No início do encontro desta terça, Trump confirmou que a Venezuela será um dos temas centrais da conversa dos dois e disse que discutirá “todas as opções” com o brasileiro. Questionado pelos jornalistas presentes, Trump também confirmou que apoiará a entrada do Brasil na Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

19/03/2019

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar