IRRESPONSÁVEL – Cabo Bebeto distorce números sobre óbitos em Alagoas

Em mais um lance controverso de sua curta carreira política, o deputado estadual Cabo Bebeto (PSL) insiste em menosprezar a gravidade da pandemia do novo coronavírus. Dessa vez, o episódio envolve a divulgação do número de mortes em Alagoas. Na última terça-feira (12), o parlamentar postou nas redes sociais uma comparação entre os óbitos ocorridos em abril de 2019 e abril de 2020.

Segundo apurou – “e essa fonte é dos cartórios”, disse em entrevista a um programa de rádio na manhã desta quarta-feira –, foram 1.310 mortes no ano passado e 1.284 no ano atual. Além da estatística não condizer com os números oficiais, a tentativa de explicar sua lógica atarantada só piora o desatino. “O que a gente observou é que morria gente ano passado também, por outros motivos, e não se alarmava tanto quanto agora”, cavaqueou o cabo. Uma distorção de números e de fatos.

O militar de baixa patente utiliza descaradamente o mesmo artifício que supostamente ataca: faz uso político da pandemia. E da pior forma: menosprezando a letalidade do vírus. Além de perigosamente inverídica, a fala do político desrespeita as vítimas da tragédia. Pessoas e famílias que sofrem com o saldo nefasto do flagelo, ainda no luto da perda de parentes e amigos levados pela infecção que Bebeto teima em menosprezar.

Os números confiáveis e que realmente interessam quando o assunto é Covid-19 estão no Portal da Transparência do Registro Civil – transparencia.registrocivil.org.br/registral-covid . O endereço disponibiliza números e gráficos sobre a ocorrência de mortes por doenças respiratórias, como pneumonia, insuficiência respiratória, SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e sepitcemia (infecção generalizada), em todo o país.

Em Alagoas, no período sugerido pelo deputado, os dados certificam que houve 1.155 mortes em abril de 2019 e 1.188 em abril de 2010. Ao destacar os óbitos ocorridos por doenças respiratórias somente em Maceió, a diferença é ainda maior: 417 em 2019 e 597 em 2020, 80 casos a mais.

Até a noite da última terça-feira, com menos de dois meses de epidemia, Alagoas bateu a marca de 150 óbitos apenas por Covid-19. A lembrar que em 2019 ainda não havia casos da doença, mas de acordo com o parlamentar, “não se alarmava tanto quanto agora”. Vale repetir a retórica delinquente proferida por um representante do povo que explicitamente confirma seu total descaso com a maior calamidade pública das últimas décadas.

Mas quem é Cabo Bebeto? Luiz Alberto Tavares Teixeira, 41, é mais um neófito na política eleito pela onda poluída do extremismo que alçou Jair Bolsonaro ao Palácio do Planalto. Anteriormente inexpressivo, o radical quer pousar de paladino da moralidade e da retidão. Nem que seja fake, nem que seja à força.

Fechar