GOLPISTA – Acusado de estelionato, empresário sequestrado já deu calote no mercado de “‘pedras preciosas”

Lei anticrime" torna estelionato crime de ação condicionada e divide

De vítima de sequestro a estelionatário. Rodrigo Bueno, empresário sequestrado encontrado em quarto de motel nesta semana, responde na Justiça por golpe durante venda de “pedras preciosas”. O caso aconteceu em 2015. Segundo os autos do processo, a vítima foi convidada, em 2013, para assistir uma palestra no Hotel Enseada, sobre investimento de dinheiro, em Maceió, quando conheceu o criminoso.

Bueno convenceu as pessoas presentes na palestra a fazer um investimento na empresa denominada “Click Prime 8”, comprando “pacotes” de investimento com nomes de pedras preciosas. De acordo com ele, o investimento teria um retorno de  aproximadamente 16,6% ao mês, dessa forma, o investidor resgataria, ao final de 12 meses, o dobro do valor investido.

A vítima relatou à Justiça que Bueno recebeu uma transferência de R$ 14.220,00, sendo R$ 13.920,00 da venda de pacotes e mais R$ 300,00 da adesão ao plano. “Após um mês da entrega do dinheiro, o retorno prometido não ocorreu. Procurado, o demandado pediu para que o autor tivesse paciência, que, assim, a recompensa seria maior”. Seis meses depois, o autor se deu conta que havia caído num golpe.

O sequestro

O sequestro, envolvendo cárcere privado e extorsão, foi registrado no final da tarde de domingo, 24, no bairro Trapiche da Barra, em Maceió. Segundo boletim de ocorrência, Bueno foi localizado a partir do rastreio -feito por familiares- do aparelho celular. Ele estava dentro de um quarto do Motel Jardins, situado no bairro São Jorge, na capital.

Acionada, a Polícia Militar realizou o resgate prendendo duas pessoas. Conforme o Batalhão de Radiopatrulha, o homem foi abordado pelos bandidos e colocado dentro do próprio carro, um Jaguar azul. O acusados do crime foram presos e confessaram que o motivo para o sequestro era a cobrança do dinheiro que havia dado ao empresário, no valor de 150 mil reais, para que ele investisse no mercado.

O golpe da vez, conforme investigação, envolvia uma pirâmide financeira.

 

Fechar