FORTE FISCALIZAÇÃO – Após descumprimento de decreto, policiais fecham lojas em Arapiraca

Decreto governamental suspende as atividades comerciais pelo período de 10 dias

Foto: PM/AL

Mesmo após decreto para o fechamento de lojas em todo o estado, alguns comerciantes tentaram se esquivar da ordem e abriram seus estabelecimentos, na manhã deste sábado, 22. O descumprimento aconteceu, na região central de Arapiraca, agreste alagoano.

De acordo com a supervisão do 3º Batalhão de Polícia Militar (BPM), lojas de roupas, móveis, lanchonetes e alguns bares ignoraram o decreto. Os militares precisaram intervir para que a regra fosse cumprida e, só assim, os proprietários fecharam as portas.

Boa parte dos que abriram as lojas disse aos policiais que desconhecia detalhes da medida ou tinha dúvidas. Uma delas era se as lojas de conveniências dos postos de combustíveis estavam autorizadas a funcionar. Como estes estabelecimentos se enquadram no ramo das lanchonetes, devem permanecer fechadas neste período.

A medida de isolamento social faz parte das ações de enfrentamento ao novo coronavírus e começou a valer a partir da 0h. A última atualização da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) apontou que Alagoas tem seis casos confirmados da doença e 53 em investigação. Outros 38 foram descartados pelo laboratório.

A PM informa que foi orientada pelo comando da corporação e pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) para atuar na fiscalização do cumprimento do decreto do governador Renan Filho (MDB). Durante o período de isolamento, os policiais estarão nas ruas, assim como os guardas municipais.

DECRETO

O governo de Alagoas determinou, por meio de decreto de emergência, o fechamento de igrejas, shoppings, bares, restaurantes e outros diversos estabelecimentos comerciais a partir da meia-noite de sexta-feira (20), durante 10 dias. Além disso, pessoas gripadas deverão ficar em casa por 14 dias. A medida vale para os 102 municípios do estado.

Fica permitido o funcionamento apenas de supermercados, farmácias e locais que prestem serviços de saúde, higiene, limpeza e alimentação.

O anúncio foi feito em conjunto com o prefeito de Maceió, Rui Palmeira.

Transporte de passageiros

O decreto também proíbe transporte intermunicipal regular, complementares e trens urbanos, pelo mesmo período de 10 dias. Na prática, moradores só poderão viajar de uma cidade para outra em Alagoas de carro.

Já nas divisas com outros estados, os veículos serão inspecionados pelo Batalhão de Policiamento Rodoviário (BPRv).

Empresas de call center

O mesmo decreto do governo de Alagoas também determina que os serviços de call center no estado reduzam imediatamente, em 50%, as equipes em suas dependências. E dá um prazo de 10 dias para que as empresas implantem o teletrabalho para todos os trabalhadores.

Serviços públicos mantidos

Água (Casal)

Secretaria de Estado da Saúde (Sesau)

Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP)

Polícia Militar

Defesa Civil

Perícia Oficial

Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal)

Fechar