Crescimento do PIB alagoano reflete solidez fiscal e atração de investimentos pelo Estado

Alagoas é o estado que mais cresce no Nordeste e o oitavo no ranking nacional de acordo com a última pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em um ano, o crescimento do estado triplicou, levando o Produto Interno Bruto (PIB) a ultrapassar a média nacional. Especialistas apontam a ascensão econômica como reflexo de uma série de fatores que atuam em conjunto, como atração de novas empresas, celeridade na abertura de novos negócios e concessão de benefícios fiscais e locacionais.

Essas e outras vantagens estão sendo possíveis graças a implantação do Programa de Desenvolvimento Integrado de Alagoas (Prodesin), da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), que beneficia, também, o segmento hoteleiro, através da abertura de novos hotéis, e o setor de aviação, com a redução de ICMS e a ampliação da malha aérea.

“Este é um crescimento muito significativo e mostra que o trabalho realizado pelo governo em diversas áreas vem dando resultado. Trabalhamos pensando na melhoria do ambiente de negócios, o estado tem mantido altos índices de investimentos em infraestrutura, temos hoje a melhor malha viária do Brasil, uma excelente nota de classificação de risco e, primordialmente, excelentes índices em Segurança Pública. Esse conjunto de fatores posicionam Alagoas entre os estados mais atrativos do Brasil para fazer negócios”, salienta o secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito.

Segundo dados do IBGE, Alagoas superou a média de crescimento do Brasil (1,3%), chegando ao balanço positivo de 3,3%. Em 2016, Alagoas apresentou uma leve recuperação, com o índice de crescimento de 0,8% em relação a 2015. Já no comparativo entre 2016 e 2017, os números apresentam um avanço de 312,5%, triplicando o número em crescimento de um ano para o outro.

O índice positivo de 3,3% ultrapassa os resultados de estados como Pernambuco (2,1%) e Ceará (1,5%), posicionando Alagoas em 8º lugar no ranking nacional. Rio Grande do Norte (0,5%) Bahia (0,0%), Paraíba (-0,1%) e Sergipe (-1,1%) também aparecem abaixo do estado. Na região, apenas o Piauí, com (7,7%), ficou à frente de Alagoas.

O PIB é resultado de um balanço que soma todos os bens e serviços produzidos nos setores de agropecuária, indústria e serviços, medindo a evolução da economia de forma geral.

Em Alagoas, o cenário de solidez fiscal proporcionado por medidas do Governo do Estado contribui significativamente para os resultados.

O economista Cícero Péricles explica que essas notícias confirmam um período de recuperação econômica, já que houve uma queda do PIB de Alagoas em 2015. “Parece que temos uma leve melhoria na safra de cana e manutenção do desempenho de setores como o comércio e serviços. Uma boa notícia é a situação financeira do Estado de Alagoas, que sinaliza um quadro de estabilidade administrativa que permite gerar condições para atrair novos investimentos”, expõe Péricles.

Ascom – 23/11/2019

Fechar