CORONAVÍRUS – Garrafa pet seria uma alternativa em meio à escassez de máscaras?

Utilizado pelos chineses na prevenção de outros surtos em anos anteriores, o item voltou a ser um aliado para evitar a contaminação pelo coronavírus

Fotos: 1. Getty Images / 2. Anthony Wallace-AFP

Diante da pandemia causada pelo novo coronavírus, a escassez de máscaras de proteção tem se tornado comum devido à grande procura. Por essa razão, os chineses voltaram a utilizar um produto como alternativa: a garrafa pet. A ideia tem se disseminado pelo mundo e alguns brasileiros já estão aderindo.

A máscara, utilizada normalmente para impedir a transmissão de vírus em meio a infecções, sempre foi bastante disputada na China, pois é usada também para se proteger da poluição. Devido à falta desse item nas prateleiras, os chineses, que já recorreram a ideias pouco convencionais em outros anos, voltaram a usar garrafas de plástico como complemento ou em substituição aos modelos tradicionais.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a eficácia das máscaras de proteção convencionais é apenas parcial, uma vez que a vedação nem sempre é perfeita e o vírus consegue penetrar os “poros” da maior parte dos modelos. Além disso, elas deixam os olhos expostos, o que pode propiciar a contaminação.

Entretanto, o modelo improvisado com garrafa pet ainda não possui eficácia comprovada, nem recomendação expressa dos órgãos de Saúde. Inclusive, se usada de maneira incorreta, pode apresentar outros riscos à segurança do próprio indivíduo que a está utilizando. As melhores alternativas para a prevenção ainda são a higienização correta das mãos e o isolamento, sobretudo caso a pessoa esteja apresentando qualquer sintoma semelhante à gripe.

Um vídeo, de autoria desconhecida, tem circulado nas redes sociais com orientações sobre como fazer a máscara de garrafa plástica para evitar a transmissão do vírus. Confira:

Fechar