CONCURSO FRAUDADO – TJ desenterra processo que mexerá com o Sistema Prisional

Quadrilha tentou fraudar concurso de Agente Penitenciário
Quadrilha tentou fraudar concurso de Agente Penitenciário

A espera por Justiça se arrasta por mais de 13 anos. Mas, isso está prestes de ter um fim. Acontece hoje, quinta-feira, 4, o julgamento de um processo polêmico na 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Alagoas. 

Trata-se de uma ação, protocolada em setembro de 2007, de um grupo de concurseiros que luta pela homologação do concurso para agente penitenciário do Sistema Prisional. O processo seletivo aconteceu em 2006.

O concurso foi prejudicado por 18 candidatos e, mesmo assim, alguns deles chegaram a ser nomeados. Naquele ano, o Estado chegou apresentar à imprensa 13 dos 18 candidatos presos por tentarem fraudar o concurso público.

A central que passava os gabaritos, por meio de vibrações do telefone celular, é de Serra Talhada, em Pernambuco. Foram presos: os policiais militares Aldemir Lourato de Lacerda, e Cristófenes César Menezes da Silva, além de Franciole Rivadávia Nogueira Brasil; Amarildo Roque da Silva; José Alexandre da Silva: Ricardinho de Lima Pinho; Renato Amaral de Souza; Geovane Alves Pereira; Washington de Souza Lopes e Célio de Souza Silva.

Incoerência

E o Estado também foi conivente com a fraude. Um exemplo é que foi nomeado João José de Lima, que sequer fez a prova porque faltou no dia de realização do exame. O grupo de concurseiros acusou o Estado de acobertar os infratores. Vamos ver o que dá!

Fechar