A SERVIÇO DO CRIME: Empresário e político de Alagoas usam policiais pra invadir terras alheias

O delegado Rivaldo Almeida Cruz, da 11ª Delegacia de Polícia Civil de Barreiras/BA, encabeça inquérito policial que investiga situação que pode levar a um caso grave de grilagem de terras na cidade de Formosa do Rio Preto/BA.

No sábado, dia 23 de maio, dez homens fortemente armados foram presos no interior da Fazenda Gerais 2, em atitude suspeita. Com eles, a polícia baiana apreendeu armamento pesado e farta munição. Entre os homens, quatro eram policiais militares de Alagoas e um guarda municipal de Maceió.

Até agora, a Polícia Militar de Alagoas não confirmou nenhuma operação no território baiano. De acordo com o que consta no boletim da PC da Bahia, os homens foram autuados pelos crimes de ameaça de morte, porte ilegal de arma de fogo, associação criminosa e esbulho possessório (grilagem, tomar terras alheias de forma violenta).

Esses homens disseram que foram contratados por um alagoano influente de iniciais J.T.A, dono da fazenda junto ao pai e o irmão, um deputado por Alagoas.

O grupo armado estaria ameaçando de morte o fazendeiro E.C.M.L, dono da Fazenda Prazeres, de acordo com a ocorrência registrada na Delegacia local. A polícia baiana investigava um suposto caso de milícia armada, quando se deparou com os policiais militares e o guarda municipal alagoanos, mais quatro policiais que seriam do Mato Grosso do Sul.

Fontes do A Notícia ficaram de enviar fotos, depoimentos dos milicianos e vídeos da operação. Mais informações ainda nesta semana.

Confira nota oficial da Polícia Civil da Bahia

Um grupo formado por policiais militares e guarda municipal de Alagoas e Mato Grosso foi flagrado, na noite de sábado (23), na cidade baiana de Formosa do Rio Preto, atuando de forma suspeita. Com o bando foram apreendidas 15 armas de fogo.

Equipes da 11ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin) e das Rondas Especiais (Rondesp) Oeste, ambas sediadas no município de Barreiras, foram até a zona rural de Formosa do Rio Preto apurar a denúncia de um grupo armado. 
Chegando no imóvel indicado, os policiais flagraram 12 homens armados em atitude suspeita contra um fazendeiro. Com o grupo foram apreendidos duas espingardas calibre 12, 10 pistolas calibres 9mm, 40 e 380, três revólveres calibre 38, carregadores, munições, rádios comunicadores e dois veículos. 
Informações iniciais, colhidas pelas equipes na localidade, apontam que o grupo armado teria chegado de avião e seria contratado por outro fazendeiro da região. Um dos homens foi preso porte ilegal. Os outros 11 foram ouvidos e liberados. Os armamentos ficaram retidos. 
 “Ainda não sabemos quais eram as intenções deste grupo e quem contratou. Vamos apurar minuciosamente”, contou o diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin), delegado Flávio Góis.
Fechar